Pra ser jornalista e negra no Brasil é preciso ser ponta-de-lança e muito forte para não se amuar. As vezes a pupila nada nos zóio cheinho de água, mas se é pra ser jornalista e negra, tem que balançar, mas não cair.