Xô celulite!

0
397

Se a proximidade do verão te faz ter pesadelos só de imaginar os shorts e biquínis que vão expor aqueles indesejáveis furinhos sob a pele, não perca tempo e dê um chega pra lá na a famigerada celulite!

pernas-definidas

 É bem verdade que a genética é nossa aliada e que as mulheres negras são menos afetadas pela celulite, devido a musculatura que tende a ser mais firme e pela tonalidade que deixa menos visível o problema. Porém, se há furinhos que tendem a ficar acentuados quando sentamos e infelizmente nos momentos que cruzamos as pernas é bom saber dos tratamentos que podemos lançar mão.
  Através de radiofrequência, infravermelho e massagem o Vela Shape Plus II (versão mais moderna da técnica que encontra-se com a grafia Velashape e Vela Shape) promete não agredir a pele e não doer (a não ser em casos de celulite mais profunda). O Vela Shape II atua da seguinte forma: o infravermelho, aquece a camada superficial da pele (até 5mm), já a radiofrequência chega a camada mais profunda (entre 2 e 20mm), enquanto a sucção potencializa ambos e a massagem drena e ativa o aporte linfático.
 Observe o esquema:
vela-shape-ii-como-funciona-ponteira
 O ideal é realizar de 10 a 12 sessões do Vela Shape Plus II, com intervalos preferencialmente de uma semana. Cada sessão pode custar em torno de R$300, mas pacotes com o mínimo de 6 sessões (quantidade básica de sessões para se observar resultados), pode minimizar este valor.

 Já a endermologia, técnica que surgiu na França entre as décadas de 1970 e 1980,  consiste em uma massagem profunda obtida a partir da associação de vácuo (também chamado de pressão negativa), gerado por uma bomba, que consegue romper as traves fibrosas superficiais e dar um aspecto mais uniforme à pele. O aparelho realiza manobras de massagem feitas com a técnica de “palpação e rolamento”, propiciada por ventosas ou cabeçotes.

A endermologia age ativando o sistema linfático. Isto porque o aparelho realiza uma drenagem dos líquidos e estimula os fibroblastos do tecido conjuntivo – que fica localizado na camada mais profunda da pele: a derme – a produzir colágeno, substância que ajuda a dar o aspecto de firmeza à pele. Além disso, a técnica promete  moldar o corpo e reduzir volume de gordura e ainda propiciar uma esfoliação que elimina células mortas devolvendo brilho à pele.

A frequência deve ser de no mínimo 10 sessões, para melhores resultados, com intervalos a definir. Os valor de cada sessão varia de R$70 à R$100.

 

endermologia

 

 

 

 

 

Autor: Rejane Romano
Foto: Reprodução