Troféu Raça Negra prestigia 16 personalidades

0
1354
Foto: Ricardo Martino

Em reconhecimento a atuação e destaque pela comunidade negra, 16 pessoas foram prestigiadas na noite do dia 21 de novembro, na Sala São Paulo, na capital paulista, com o Troféu Raça Negra 2016. O evento, que está em sua 14º edição este ano prestigiou a cantora Elza Soares, que também recebeu um troféu e falou sobre a honra de ser homenageada. “Minha carne é negra, mas tem valor como qualquer outra e por isso posso dizer: eu sou negra”, afirmou Elza ao final do seu discurso.

A abertura do evento foi feito pelo reitor da Universidade Zumbi dos Palmares José Vicente, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin e o ministro da Educação Mendonça Filho. Logo depois, houve uma breve palestra do ativista afro-americano Jesse Jackson – que atuou ao lado de Martin Luther King na luta pelos direitos civis para os negros americanos.

Foram prestigiados no Troféu Raça Negra a judoca Rafaela Silva, a Miss Brasil Raissa Santana, a presidente do Supremo Tribunal Federal Carmem Lúcia, o cantor Arlindo Cruz, a deputada federal pela Bahia Tia Eron, a Miss São Paulo Sabrina Paiva, o escritor Arnaldo Niskier, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Cláudio Lamacchia, o presidente da Academia Brasileira de Letra Domício Proença Filho, o Tenente Brigadeiro da Força Aérea Brasileira Raul Botelho, a representante das universidades Metodistas norte-americanas Kim Cape, o empresário angolano Antônio Mesquita, o vice-presidente da Microsoft Brasil Rodney Willinans e o chefe de Gabinete da Prefeitura de São Paulo Francisco Macena.

A judoca Rafaela, que ganhou a primeira medalha de ouro para o Brasil nas Olimpíadas Rio 2016, falou do seu orgulho por representar o País e a população negra. “Se eu pudesse escolher a cor que eu iria nascer, eu escolheria nascer negra, porque tenho orgulho”, disse Rafaela. Já Raissa Santana em discurso voltado para as meninas negras disse: “tenho orgulho da nossa sua beleza e o que desejo para todas nós é oportunidades”.

Já a ministra Carmém Lúcia fez questão de afirmar que “toda forma de discriminação e desigualdade é uma injuria e irresponsabilidade”. O cantor Arlindo Cruz lembrou que vivemos um momento de muita intolerância, mas advertiu que “temos que continuar lutando, porque nossa liberdade é guerreira”.

Por fim, a secretaria nacional dos Direitos Humanos Flavia Piovesan entregou o troféu em homenagem a Sheila Cristina Nogueira – mãe do de Carlos Eduardo Nogueira da Silva, de 19 anos, morto em junho atingido por uma bala perdida na porta de casa, no Morro do Querosene, em São Paulo, quando tomava água de coco com um amigo.

Dentre os participantes, diversas personalidades negras como a secretária Nacional da Igualdade Racial Luislinda Valois, a deputada angolana Irene Neto, a deputada federal pelo Rio de Janeiro Benedita da Silva, o ex-atleta Robson Caetano, o cantor Chico César, o cantor Emicida, a primeira Miss Brasil Negra Deise Nunes, a escritora cubana Teresa Cárdenas e a presidente da FLINKSAMPA Francisca Rodrigues, dentre outros.

O Troféu raça Negra é realizado pela ONG Afrobras, em parceria com a Faculdade Zumbi dos Palmares, em reconhecendo a atuação de uma pessoa de destaque da comunidade negra nacional ou internacional, que contribuiu para a construção de uma sociedade plural, por meio do combate ao preconceito, à intolerância e à discriminação. O evento tem reconhecimento internacionalmente e integra o calendário oficial da cidade de São Paulo.

*Texto de Valmir Araújo