Brasileiro é alvo de racismo em jogo na Sérvia

Meia Everton Luiz deixa o campo chorando após fim da partida. Torcida de time adversário fez sons de macaco toda vez que atleta tocava na bola

0
55

O meia brasileiro Everton Luiz, do Partizan Belgrado, deixou o campo chorando neste domingo (19/02), após sofrer uma série de agressões racistas da torcida do clube rival local Rad, informou a emissora de televisão sérvia B82.

Durante o jogo, os torcedores faziam sons de macaco cada vez que o jogador, de 28 anos, tocava na bola. A partida também chegou a ser interrompida por alguns minutos após torcedores do Rad abrirem uma bandeira insultando o atleta, que venceu a Copa da Sérvia no ano passado com o Partizan.

Após o apito final, outra emissora mostrou Everton Luiz, que no Brasil passou por clubes como CRB e Marília, mostrando o dedo médio em direção à torcida do Rad. A polícia entrou em campo para controlar o tumulto envolvendo jogadores dos dois times, enquanto o jogador brasileiro se dirigia chorando para o vestiário.

O Partizan venceu o jogo por 1 a 0, garantindo o segundo lugar na tabela, seis pontos atrás do Red Star Belgrado.

“Não consegui conter as lágrimas, ao enfrentar insultos racistas das arquibancadas durante os 90 minutos”, disse Everton Luiz. “Fiquei ainda mais chocado com a atitude dos jogadores adversários que, em vez de acalmar as coisas, apoiaram esse comportamento”, acrescentou.

000_LV046HDF.jpg
O meia brasileiro Everton Luiz deixou o campo chorando neste domingo, 19 (STR / AFP)
“É um retorno à realidade do futebol sérvio”, disse o técnico do Partizan, Marko Nikolic. Ele ressaltou que Everton deverá enfrentar uma ação disciplinar do clube, mas pediu às autoridades do futebol sérvio que punam também os torcedores do Rad.

“Everton não deveria ter reagido, mas algo provocou a explosão dele, não é?”, comentou Nikolic, que foi demitido pelo clube esloveno Olimpia de Ljubljana em abril passado por ofensas racistas contra um de seus próprios jogadores. “As duas partes devem ser punidas. Isso acontece no futebol, mas agora cabe às autoridades punirem os infratores”, acrescentou.

No Olimpia, Nikolic ofendeu o atacante nigeriano Blessing Eleke ao chamá-lo de “negro idiota”, pela extensa comemoração do atleta após um gol de empate, que teria deixado menos tempo para a equipe marcar outro gol e possivelmente vencer o jogo contra o clube Zavrc.

O futebol sérvio foi marcado por vários outros incidentes racistas nos últimos anos, incluindo cantos da torcida contra jogadores negros da Inglaterra em um jogo internacional sub-21 há cinco anos.