Ministério dos Direitos Humanos empossa Secretários

0
105

Foram empossados em 11/04, em solenidade no Salão Negro do Ministério da Justiça e Segurança Pública, o Secretário Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Juvenal Araújo Júnior, e o Secretário Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Marco Antonio Ferreira Pellegrini. As pastas integram a estrutura do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), chefiado pela Ministra Luislinda Valois.

Entre as autoridades presentes, estiveram Mizael Conrado, Presidente do ComitêParalímpico, Naíse Pedrosa, Vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro e primeira mulher a compor a Diretoria Executiva, José Vicente, Reitor da Universidade Zumbi dos Palmares, e as Deputadas Federais Mara Gabrilli e Rosinha da Adefal.

Durante a cerimônia, a Ministra iniciou agradecendo a acolhida dos funcionários da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), onde foi titular. “Fui sempre tratada com muito carinho e respeito”, disse.

“O negro é ousado e competente, o que nos falta é oportunidade para mostrar essa competência. É muito difícil ser negro nesse país, e mais difícil ainda quando se é mulher, negra, da periferia, filha de uma lavadeira e de um motoreiro de bonde. Uma mulher ousada que conseguiu chegar à magistratura nacional e hoje está à frente de um Ministério”, destacou.

A Ministra Luislinda citou, ainda, a Medida Provisória nº 768/2017, do Presidente Michel Temer, que estabelece a criação do Ministério dos Direitos Humanos.

Com relação à posse, a titular do MDH foi enfática. “Os Secretários empossados estão à frente de duas Secretarias com o poder de provocar transformações na sociedade brasileira. Não estou transferindo a responsabilidade e sim dividindo, pois estamos aqui para somar e trabalharmos juntos e contem comigo por mais árdua que seja a missão”.

Secretários

O Secretário Juvenal Araújo agradeceu a presença de todos e reconheceu que o momento é ímpar. “O povo negro precisa de reconhecimento. Não podemos ser tachados ou calculados por arrobas, ou sermos tratados como animais”. Segundo ele, é importante destacar que “a luta não é só do negro, a luta é de todos nós.”

A solenidade foi encerrada com o Secretário Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Marco Antonio Ferreira Pellegrini. “Nunca fomos e nunca seremos milhões de miseráveis. Somos Brasil”, afirmou.