Museu Afro Brasil recebe três novas exposições

0
187

13 de Maio, dia oficial da abolição da escravatura, o Museu Afro Brasil inaugurou três exposições temporárias: “A quem interessar possa – Trajetos e Trejeitos de São Paulo”, “Geometria afro-brasileira e africana” e “1888”. Ficarão expostas até 9 de Julho no interior do Parque Ibirapuera (Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n). De domingo a sexta, para participar das exibições, o valor é de R$ 6,00 e a meia, R$ 3,00. Aos sábados, a entrada é gratuita.

A exposição de “A quem interessar possa – Trajetos e Trejeitos de São Paulo” leva cerca de 250 obras nas mais diversas formas de representação artística voltada para a historicidade da cidade de São Paulo. Alguns dos artistas que compõem a mostra são Aldemir Martins, Fernando Odriozola, Massao Okinaka, Norberto Nicola, Odetto Guersoni, Yolanda Mohalyi.

“Geometria afro-brasileira e africana” por Emanoel Araujo, fundador e diretor do projeto – que, desta vez, além de escultor, será o curador da mostra – está direcionada a trazer para a contemporaneidade, as manifestações mais ancestrais da representação plástica.

Para compor o conjunto de exposições, “1888” é assim intitulada simbolizando o ano em que foi assinada a Lei Áurea, pondo fim à escravatura. A instalação é do artista Ferrão, cujo compilado de obras foi descrito por Emanoel Araujo como tipo de metáfora que carrega como bagagem a espiritualidade do povo africano.

O Museu Afro Brasil é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo surgido na intenção de promover, valorizar e preservar a cultura nacional. O Museu volta-se para o patrimônio cultural africano e afro-brasileiro e suas contribuições para a cultura nacional. O local conserva obras de XVIII até as atuais, exibindo este acervo na exposição de longa duração e, as demais obras, nas exposições temporárias. Para compor a programação cultural, os visitantes podem conferir apresentações no auditório e biblioteca