O lugar errado, na hora errada, com a cor errada

0
63

Rafael Braga permanece preso

Não é de hoje que a população negra – sobretudo o jovem, negro, masculino – sofre com o imaginário social, diga-se: racismo de grande parte dos policiais militares que atribui a este perfil o ideário do bandido. Inclusive o Genocídio do Povo Negro está diretamente relacionado a esta questão.

Um triste exemplo desta situação enraizada em nossa sociedade é o caso de Rafael Braga, de 28 anos, que na última terça-feira (8), teve habeas corpus negado pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A história real deste catador de material reciclável tem mobilizado a comunidade negra, que acompanha inconformada os desdobramentos deste caso que mais parece um trecho perverso de ficção.

Rafael desta vez foi condenado 11 anos e três meses de prisão por portar 0,6 g de maconha e 9,3 g de cocaína, no Complexo de Favelas da Penha, localizado na zona norte do Rio de Janeiro. Trata-se da segunda prisão do catador, que anteriormente havia sido preso e condenado, erroneamente, a cinco anos de prisão, acusado de participar de uma manifestação, em junho de 2013, portando material explosivo. Na verdade o que o catador levava consigo era uma garrafa de desinfetante. Depois de muita luta o jovem conquistou o direito a liberdade, mas em janeiro de 2016 foi novamente detido por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Rafael alega inocência e afirma que o flagrante foi forjado.

O caso ganhou destaque recentemente devido a disparidade de tratamento dispensada em relação a Breno Borges, filho da desembargadora e presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), Tânia Freitas, que após ter sido preso com 130 kg de drogas e munições, foi autorizado a trocar a prisão por uma clínica psiquiátrica para tratamento da síndrome de borderline.

Em formato de sátira o canal do Youtube “Coisas Que Você Precisa Saber” publicou um vídeo com participação da Mestra em Filosofia, ativista e feminista negra, Djamila Ribeiro. Assista ao vídeo aqui.