Negras e diabéticas são mais suscetíveis a queda de cabelo

0
55

Pesquisadora alerta que problema não deve ser tratado como questão cosmética

A perda de cabelos em mulheres negras pode não estar somente atrelada ao uso de alisamentos, tranças, apliquese entrelaçamento apertados. Estudo informal, publicado no ArchivesofDermatology, em 11 de abril, apontou que mulheres com perda de cabelos intensa apresentavam índices mais altos de diabetes tipo 2 e infecções bacterianas do couro cabeludo, se comparadas a mulheres com pouca ou nenhuma perda de cabelos.

De acordo com AngelaKyei, autora do artigo e chefe residente no Cleveland ClinicInstitute de Dermatologia e Cirurgia Plástica, os diabéticos tendem a ser mais suscetíveis a infecções, inclusive do couro cabeludo.

A pesquisa revelou que aproximadamente um terço de um grupo composto por 326 negras apresentava um tipo de perda capilar central chamada de Alopecia Cicatricial Centrífuga Central (ACCC), diagnosticada quase que exclusivamente em mulheres negras.

Ou seja, o estudo não só aponta a perda de cabelo em mulheres diabéticas, mas principalmente em mulheres negras. Desta forma, se você faz parte deste grupo de risco procure um dermatologista e evite agressões ao couro cabeludo. Suas madeixas com certeza vão agradecer.

Angela alerta que “Ignorar a perda de cabelos, tratando sua causa como um mero problema cosmético, é uma abordagem errada”, publicou o site do Uol.

Um caso de alopecia – redução parcial ou total de pelos ou cabelos em uma determinada área de pele – que ganhou a mídia foi da modelo Naomi Campbell.