Troféu Raça Negra recebe Rachel Maia

CEO do grupo Pandora participa do evento como forma de ressaltar o empoderamento negro feminino

0
14

Rachel Maia, CEO do grupo Pandora no Brasil, uma das joalherias mais famosas do mundo, reúne duas características que por si só a tornam uma vencedora: é mulher e é negra.

Em um universo soberanamente masculino e branco, como é o mundo corporativo, Rachel chegou ao mais alto cargo que um executivo poderia almejar e, se já seria difícil para alguém de pele branca, imagine para uma mulher brasileira que tem a pele negra.

Consciente disso, a executiva disse em uma recente entrevista para a revista Exame, que representa 0,4% do universo de presidentes e, neste caso, ela está se referindo às mulheres negras que conseguiram chegar aos cargos mais altos do mercado corporativo.

Junte-se a isso o fato de que a área na qual Rachel trabalha, o chamado mercado de luxo, é como ela bem definiu ‘ loiro, magro e tem olhos azuis’.

Assim, a participação dela em uma celebração como o ‘Troféu Raça Negra’, representa a presença da competência profissional, da garra, do desejo de adquirir conhecimento e da possibilidade de alcançar altos cargos por meio da atualização constante.

Ao abrir espaço para que uma mulher como Rachel Maia participe de uma premiação como o ‘Troféu Raça Negra’, um recado estará sendo dado de forma categórica e vibrante: as mulheres negras podem ser o que quiserem, inclusive, presidentes de multinacionais.