Pesquisa confirmará que jovens negros são mais vulneráveis à violência, diz SNJ

0
16

O secretário nacional de Juventude, Francisco de Assis Costa Filho, disse hoje (4) que a nova versão do Índice de Vulnerabilidade Juvenil (IVJ) – Violência e Desigualdade Racial vai trazer dados semelhantes à atual, que revelou que os jovens negros são as principais vítimas e estão em situação de maior vulnerabilidade à violência no Brasil.

A atualização do IVJ deve ser divulgada na próxima segunda-feira (11) e trará informações do indicador em 304 municípios com mais de 100 mil habitantes.

“O governo não quer esconder nenhum dado, por mais que esses dados sejam ora positivos, ora negativos. Precisamos conhecer de perto cada realidade, cada vulnerabilidade, para combatê-la. Não há como remediar o paciente se o médico não sabe o que ele tem”, disse o secretário em entrevista ao programa Por Dentro do Governo, da TV NBR, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Costa Filho reconheceu que a violência ainda é um dos maiores problemas do Brasil e que flagela, sobretudo, a parcela jovem da população. De acordo com o Mapa da Violência, os jovens representam 26% da população, mas somam 58% das vítimas por arma de fogo no período de 1980 a 2014.

Criado em 2014, o IVJ com viés da desigualdade racial é calculado por meio de metodologia criada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com a cooperação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) no Brasil.

ID Jovem

Durante a entrevista, o secretário também anunciou que o programa Identidade Jovem, mais conhecido com ID Jovem, poderá chegar a 16 milhões de beneficiários.

O programa permite que jovens com renda familiar de até dois salários-mínimos, estudantes ou não, tenham direito à meia-entrada em eventos culturais e gratuidade ou desconto no sistema de transporte coletivo interestadual. Além disso, o cadastro no programa também garante isenção na taxa de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

“Ele já nasce como o maior programa social do governo para a juventude, com capacidade de atender diretamente até 16 milhões de jovens de 15 a 29 anos”, disse Costa Filho.

De acordo com o secretário, com um ano de funcionamento comemorado este mês, o número de cadastros no ID Jovem já chega a 500 mil. A inscrição no programa pode ser feita por um aplicativo de celular ou pelo site www.caixa.gov.br/idjovem. Para emitir o cartão, é necessário informar o Número de Identificação Social (NIS), vinculado à inscrição do Cadastro Único para Programas Sociais do governo.