‘O tempo dos abusadores já acabou’, diz Oprah Winfrey no Globo de Ouro

Apresentadora falou sobre racismo e desigualdade de gênero e emocionou a plateia com discurso

0
38
Em seu discurso de aceitação do prêmio Cecil B. DeMille, Oprah Winfrey menciona, entre outras coisas, seu apoio ao trabalho da imprensa - HANDOUT / REUTERS

A apresentadora de TV Oprah Winfrey subiu ao palco da 75ª edição do Globo de Ouro e marcou a cerimônia com seu discurso sobre racismo, desigualdade de gênero e assédio ao ser premiada com o Cecil B. DeMille Award no evento.

Oprah iniciou sua fala relembrando os Oscars de 1963, quando Sidney Poitier se tornou o segundo ator negro a vencer a estatueta, o que a marcou profundamente. “Eu era apenas uma garotinha e nunca havia visto um negro ser celebrado daquele jeito”, afirmou.

“Me inspiro em todas as mulheres que tiveram o poder e a força de compartilhar suas experiências pessoais”, disse a apresentadora. “O tempo dos abusadores já acabou”, decretou Oprah.

“Quero expressar minha gratidão a todas as mulheres que suportaram abusos e violências porque elas, como minha mãe, tinham filhos para sustentar, contas para pagar. Mulheres cujos nomes nunca saberemos, pois são empregadas domésticas, garçonetes, trabalhadoras em empresas.”

Oprah encerrou seu discurso falando sobre as campanhas “#MeToo” e “Time’s Up”, cujo estopim foram as acusações de assédio sexual que levaram a público o comportamento de Harvey Weinstein, Louis C.K., Kevin Spacey e vários outros nomes importantes do show business.

No tapete vermelho do primeiro do Globo de Ouro, a primeira grande premiação de Hollywood após os escândalos sexuais que vieram à tona na indústria cinematográfica nos últimos meses, as atrizes entraram vestidas de preto e acompanhadas por ativistas. Nas entrevistas, os discursos não se resumiram a trivialidades ou à divulgação de seus trabalhos mais recentes, mas assumiram um tom mais politizado.