Que tal convidar um refugiado para a ceia de natal?

Em sua primeira edição, a campanha “Meu Amigo Refugiado” quer criar conexões culturais e laços de amizade

0
709
Campanha "Meu amigo refugiado" (Reprodução)

Você convidaria um refugiado para passar o natal em sua casa? Pois essa é a proposta da campanha “Meu Amigo Refugiado”, pegando carona no espírito de união das festas brasileiras de fim de ano.

A iniciativa é organizada pelo Migraflix, uma ação social que tem promovido a integração de brasileiros com refugiados e imigrantes, por meio de um intercâmbio artístico-cultural.

Quem contou tudo sobre a campanha foi o fundador e diretor executivo do projeto, Jonathan Berezovsky. Segundo o argentino, residente no Brasil, a proposta é criar conexões culturais e laços de amizade.

Para esta primeira edição, com foco em São Paulo e Rio de Janeiro, foram cadastradas 12 pessoas refugiadas, dos seguintes países: Angola, Palestina, Cuba, Síria, Colômbia, Nigéria, República Democrática do Congo, Marrocos, Costa do Marfim e Venezuela. O sucesso da campanha foi tão grande, que os organizadores já receberam mensagens de todo o Brasil, de pessoas querendo convidar os refugiados para suas casas.

“O povo brasileiro é um povo muito acolhedor. Em várias cidades do País, as pessoas tem essa vontade de acolher os imigrantes refugiados que estão chegando no País e de dar esse carinho que eles precisam. É muito lindo, na verdade. É uma coisa que acontece no Brasil e que em outros países, não está acontecendo, infelizmente”, disse Jonathan Berezovsky.

Ele adiantou que a campanha deverá, muito em breve, cadastrar novos refugiados e ser estendida a outros estados, com possibilidade, inclusive, de chegar à Amazônia.

Clique no player acima para ouvir a entrevista na íntegra.