Celso Athayde será enredo de bloco carnavalesco do Sapo de Camará

Samba do bloco da favela onde Athayde se criou será gravado por Dudu Nobre, MV Bill, Tony Garrido, Sandra de Sá, Sergio Loroza , Hélio de la Penã, Nega Gizza, entre outros

0
380

O Bloco do Sapo de Camará vai homenagear o seu ilustre morador neste Carnaval, o empresário e ativista social Celso Atahyde, fundador da Central Única das Favelas (CUFA) e CEO da Favela Holding. O samba do bloco, que se chamará “Celso Athayde, o Mago das Favelas”, será gravado na próxima quarta-feira, 31 de janeiro, no estúdio do sambista Dudu Nobre, que estará presente junto com MV Bill, Nega Gizza, Hélio de la Peña, Sandra de Sá, Tony Garrido e outros amigos de Celso, do mundo artístico e de infância. A gravação será a partir das 21h.

Foto: Divulgação/CUFA

O bloco vai desfilar na favela do homenageado no domingo pós Carnaval, dia 18 de fevereiro. Antes, na segunda-feira de Carnaval, dia 12 de fevereiro, às 15h, o Bloco do Sapo de Camará se junta ao Arrastão da CUFA, em Madureira, onde também será tocado o samba em homenagem a Celso Athayde, que já é nome de rua, beco e praça, na Favela do Sapo.

“Fico extremamente feliz e honrado por receber uma homenagem deste tamanho do lugar onde vivi. E nada melhor do que ter amigos de longa data, participando desta festa, está todo mundo convidado”, disse Celso Athayde.

Celso fundou a CUFA em 1998. Em 2013, o ativista social ingressou de vez no ramo empresarial e criou a Favela Holding, grupo que conta com 22 empresas focadas em fomentar o empreendedorismo na base da pirâmide. Celso Athayde é atualmente detentor do título empreendedor social do ano, concedido pela revista IstoÉ.

Foto: Divulgação/CUFA 

Confira a letra do samba “Celso Athayde, o Mago das Favelas”:

Celso Athayde, negro nobre a nos representar
O povo negro e os nossos guetos
Tem em sua luta esperança
Nosso comandante cultural
Empreendedor Cultural

Frente Favela Brasil… Chegou
Favela Holding… Vai Voando eu também vou
A Taça das Favelas… Emoção
No viaduto o charme é pura tradição

Que saudade da favela
Das minhas origens e aos meus iguais
Minha Favela do Sapo… “Não te esquecerei jamais”
E pras demais comunidades meu respeito e minha gratidão