USP após as cotas: atividades de recepção dos primeiros cotistas da FUVEST

Na última semana a programação esteve repleta de atividades como debates, saraus e batalhas de poesias.

0
360

Tradicionalmente, a Universidade de São Paulo promove em cada uma de suas unidades, logo na primeira semana do período letivo, a chamada semana de recepção aos calouros.

Este ano, que comemorou-se o ingresso da primeira turma de cotistas pelo vestibular próprio da USP, a FUVEST, através de atividades que trabalhavam o tema do combate à discriminação racial e sobre a necessidade de ampliação de políticas de permanência, para que os ingressantes pelas cotas sociais e étnico-raciais possam concluir seus cursos.

As discussões levam em consideração o posicionamento no novo reitor da Universidade Vahan Agopyan, que já declarou que a “USP não é entidade assistencialista” e que tenta fechar o Hospital Universitário, que atende não somente estudantes e trabalhadores mas também a população das comunidades do entorno, de maioria negra e de baixa renda.

Calourada

Nas atividades de recepção promovidas no campus  Butantã, como a organizada pelo CeUPES – Ísis Dias de Oliveira, o centro acadêmico do curso de Ciências Sociais houve na última quinta (1), uma atividade chamada Slam USPerifa, que consistia numa batalha de poesias marginais, com temas de críticas às desigualdades, principalmente as raciais.

Já na Escola de Comunicações e Artes, aconteceu um sarau promovido pelo coletivo negro da unidade, o Opá Negra, que trouxe a discussão sobre o tema e reuniu dezenas de estudantes que declamaram poesias, cantaram e comemoraram a entrada dos cotistas da FUVEST e do Sisu.