Documentário sobre racismo é vetado por canal austríaco

O veto coincide com a ascensão de um governo de extrema-direita no país. Segundo a emissora, houve apenas um remanejamento na programação

0
88

O canal de televisão austríaco ORF, muitas vezes criticada pela extrema-direita que governa atualmente o país, decidiu anular, de última hora, um documentário sobre o racismo vivido pelos negros em Viena.

Intitulado “Negros em Viena, de Soliman a Alaba”, fazendo referência a Angelo Soliman, escravo que ficou conhecido em Viena em 1720 por ser uma “atração em parques de diversões” e David Alaba, zagueiro austríaco do Bayern de Munique, o documentário revela os “preconceitos profundamente enraizados” enfrentados diariamente pelos negros moradores da capital austríaca.

Previsto para ir ao ar neste sábado 4, o documentário foi retirado da grade da programação “sem nenhuma explicação”, contou aos jornais Der Standard Die Presse o documentarista, Teddy Podgorski Jr. Ele afirmou que ficou surpreso, pois o filme, de 25 minutos, havia sido recebido “com muito entusiasmo” pela produção do canal.

“Divulgar mentiras”

O cancelamento acontece sete meses após a chegada ao poder do vice-chanceler de extrema direita Heinz-Christian Strache, que desde que entrou no governo multiplicou seus ataques contra o ORF, acusando o canal de divulgar “mentiras”.

Em um comunicado, a ORF afirmou que o documentário será “remanejado”, por não “corresponder ao que havia sido pedido, tanto em termos técnicos quanto em termos de conteúdo”.

O documentário iria ser transmitido no programa “Österreich Bild” (em português, “imagem da Áustria”). No lugar, será divulgada uma reportagem sobre bares típicos da capital austríaca.