Atacante brasileiro denuncia insultos racistas em partida na Bolívia

Serginho, do Jorge Wilstermann, diz que foi chamado de macaco por torcedores e jogador adversário

0
236
Serginho, do Jorge Wilstermann Foto: Reprodução/ Facebook

O atacante Serginho, do Jorge Wilstermann, denunciou que foi vítima de insultos racistas feitos por torcedores e um jogador do Destroyers durante o empate por 0 a 0 entre as equipes, no último sábado (4), pela quinta rodada do Campeonato Boliviano.

Em mensagem publicada no Facebook, o brasileiro de 33 anos lamentou que, ao longo do jogo, “grande parte da torcida adversária começou a insultar em alto e bom som, com palavras racistas. Serginho ainda disse que o zagueiro boliviano Erwin Melgar, do Destroyers, o chamou de “macaco” em diversos momentos da partida, disputada na cidade de Warnes.

O brasileiro diz que esta é a terceira vez que passa por este tipo de situação na Bolívia, mas ressalta que o povo boliviano não é racista, “é um povo muito agradável”, segundo escreve. “O que houve comigo e com outros jogadores não representa o que verdadeiramente é o povo boliviano, sou muito feliz aqui nesta terra, nos acolheu como se a minha família e eu tivéssemos nascido aqui”, escreveu Serginho, que garantiu ter perdoado todos que o insultaram, apesar de não terem pedido desculpas pelo ocorrido.

O elenco do Jorge Wilstermann expressou apoio ao brasileiro em relação ao fato, que “ultrapassou os limites”, segundo contou à imprensa o meia Fernando Saucedo. “Viemos de uma raça misturada, eu me sinto orgulhoso de ser índio. Então penso que não temos o direito de insultar nem agredir nenhuma pessoa”, afirmou o técnico da equipe, o boliviano Álvaro Peña.

Em declarações ao jornal El Deber, o zagueiro Melgar admitiu ter tido uma discussão com o Serginho, que o teria chamado de “boliviano de m…, índio”. O defensor negou ter utilizado termos racistas ou alusões à cor de pele de Serginho. “Como vou dizer isso a ele se também sou de pele morena?”, defendeu-se./EFE00