Arthur Mitchell, A Inspiração para uma geração de bailarinos negros nos EUA

0
1516

Aos 84 anos, Arthur Mitchell, que durante 12 anos encantou plateias ao redor do mundo dançando na companhia de dança de NYC Ballet, faleceu, no dia 19 de setembro, em Nova York. Além de atuar à frente dos palcos, o artista também foi responsável por fundar da companhia de dança Dance Theater of Harlem 

Mitchell foi o primeiro dançarino negro a integrar o corpo de bailarinos da prestigiosa escola de dança mostrando destreza, agilidade, carisma e muita beleza. Seu carisma foi considerado como o fator principal para fundar e encabeçar a companhia Dance Theater of Harlem.

Quando o bailarino pisou no palco para dançar com a parceira de arte,  Diana Adams, muita gente não poderia acreditar na parceria entre um dançarino afroamericano ao lado de um símbolo caucasiano de beleza e pureza. Você pode imaginar o quão audacioso para a época um afroamericano e uma mulher branca dançando juntos?

Ele sabia que sua dança deveria ser apresentada impecavelmente sem qualquer cintila de falha.

Uma de suas últimas apresentações foi logo após o assassinato do reverendo Martin Luther King Jr, em 1968. George Balanchine, o diretor artístico e co-fundador da companhia de dança, criou a coreografia “Requiem Canticles” como uma homenagem ao reverendo assassinado. Arthur Mitchell ficou tão chocado e triste com o episódio que ele começou a trabalhar para a criação de  uma companhia de dança que poderia servir de inspiração e incentivo para as crianças do bairro do Harlem.

Arthur Mitchell é “filho” do Harlem. Ele nasceu em Março de 1934. Seu pai era superintendente num edifício em Manhattan e sua mãe dona de casa. Quando criança cantou na Liga Atlética da polícia e no coral da igreja batista “Convent Avenue”. Ele também realizou aulas de “tap dance”.

Arthur Mitchell e o corpo de dançarinos do Dance Theater of Harlem

Sua chance de dançar profissionalmente aconteceu quando estava numa festa, e o conselheiro escolar  o viu dançando e sugeriu que fosse fazer uma audição para a prestigiosa escola de dança “High School of Performing  Arts”, em Manhattan.

Após concluir o ensino médio, Arthur Mitchell recebeu uma proposta para integrar o corpo de dança do Ballet Americano de Nova York, apoiado por uma bolsa. Durante seus anos de estudos, participou de apresentações na Broadway, no espetáculo “House of Flowers”. Ele estava viajando na Europa com o grupo de dança John Butler Dance Theater, quando chegou o convite para fazer parte do City Ballet na temporada 1955-1956. Ele também criou seu primeiro núcleo de dançarinos profissionais quando ainda era assistente do coreógrafo Rod Alexander em 1957, no show da Broadway “Shinbone Alley”.

Arthur Mitchell ensinou também balé em academias de dança, incluindo a prestigiosa escola de dança Katherine Dunham, em Nova York, e na escola de balé Jones-Heywood, em Washington, ambas importante institutos de dança para profissionais negros.

Durante sua estadia na escola Jones-Heywood, a famosa crítica de dança, Jean Battey Lewis, do periódico The Washington Post, escreveu dizendo que Arthur Mitchell parecia um sargento de instrução quando ensinava seus alunos. Ele fundou a Companhia Nacional de Balé do Brasil nos anos 1960.

Sua maneira durona o ajudou no começo como diretor da Dance Theater of Harlem. A companhia de dança começou sua gloriosa trajetória em uma garagem remodelada e abrindo oficialmente para o público em 1971 com um programa de três balés apresentado no eclético museu Guggenheim de Nova York.

 

*Por Edson Cadette, do Blog Lado B NY