Entenda a polêmica da capa que elege Serena Williams a ‘Mulher do Ano’

Publicação risca o termo "homem" e substitui pela palavra "mulher" entre aspas

0
315
Capa da revista gerou polêmica por conta da palavra "mulher" entre aspas Foto: reprodução/ GQ
Serena Williams foi eleita a “Mulher do Ano” pela revista norte-americana GQ. No entanto, um detalhe da capa que mostra a tenista gerou polêmicas nas redes sociais desde o seu lançamento na última segunda-feira. O motivo? A publicação risca o termo “homem” e substitui pela palavra “mulher” entre aspas.

A GQ começou a incluir mulheres em 2003 entre os homenageados e, mesmo com os esforços para explicar o motivo do uso das aspas, não foi o suficiente para afastar as polêmicas. No passado, a própria tenista já havia reclamado sobre comentários questionando sua feminilidade.

“Eu tenho sido chamada de homem porque pareço ser forte. Foi dito que não pertenço no esporte feminino, que pertenço ao masculino, porque pareço mais forte que muitas outras mulheres”, desabafou Serena em uma carta destinada à sua mãe.

“Não posso acreditar que ninguém na GQ tenha pensado nos insultos misóginos e violentos com que ela (e Venus) teve de lidar nos últimos 20 anos, para não colocar o termo mulher entre aspas”, comentou um dos internautas.

Serena Willians ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas um funcionário da revista reforçou que as aspas são uma assinatura do designer Virgil Abloh, responsável pelo desenho da palavra na capa. “Porque foi feito a mão por Virgil Abloh da Off-White, que estilizou tudo entre aspas ultimamente (veja a roupa de Serena no US Open que ele desenhou)”, respondeu o funcionário pelo Twitter.

Ainda assim, o público desaprovou a iniciativa. “O contexto da Serena Williams, uma pessoa que já foi zombada por sua aparência e deliberadamente tratada por pronomes masculinos por anos… não é o caso, Virgil”, criticou uma das postagens. “Em suas próprias palavras, as aspas são usadas para transmitir ironia”, comenta outro.