Maria Marta da Silva

0
527

Nossa Mulher Positiva é Maria Marta da Silva; alagoana de 34 anos, formada em Hotelaria e Turismo e também em Enfermagem. Saída de situação de extrema pobreza, ela tem uma história de superação emocionante. Hoje à frente do Instituto Tamo Junto em São Miguel dos Milagres (AL), ajuda a comunidade local a se conscientizar sobre a preservação ambiental, além oferecer cursos profissionalizantes que impulsionam as pessoas ao mercado de trabalho qualificado.

  1. Como começou a sua carreira?

Nasci na Rota Ecológica de Milagres, no município de Porto das Pedras. Venho de uma família de situação de extrema pobreza, meus pais eram migrantes do sertão nordestino, analfabetos e por muito tempo moramos em uma casa de taipa. Tive acesso à energia elétrica somente aos 16 anos. Meus pais não tiveram a oportunidade de estudar, mas mesmo assim sempre me incentivaram a levar firme os estudos. Concluí o ensino fundamental e médio na minha própria cidade e após isso, fui buscar especialização em Turismo e Hotelaria na cidade de Barreiros (PE), alguns anos depois também me formei em Enfermagem em Maceió (AL). Por vir de uma família muito humilde, nós sempre tivemos essa consciência da importância da ajuda mútua, do acolhimento; o quanto isso faz diferença no desenvolvimento das pessoas. E a minha trajetória e escolhas de carreira não poderiam ser diferentes; escolhi estudar cursos nos quais profissionalmente conviveria e ajudaria outras pessoas. Antes do Instituto, sempre fui muito proativa na comunidade onde vivi e também integrei outras associações locais que envolviam trabalhos com a reciclagem, educação ambiental e cultural. Comecei a trabalhar nos eventos que a produtora Tamo Junto organiza como, os casamentos na belíssima Capela de Milagres e nas festas de Revéillon. O fundador, Maurício Vasconcelos, ao conhecer o meu engajamento com a comunidade local, enxergou em mim o potencial em desenvolver projetos sociais, de base comunitária, que trouxessem consciência de preservação do meio ambiente, e de qualificação à comunidade local. E o resultado desse nosso trabalho é muito gratificante! O Instituto já ministrou 19 cursos sendo de segurança alimentar, garçom, babá, turismo, assistente administrativo para hotéis e pousadas. Cerca de 472 pessoas da comunidade local já participaram dos cursos oferecidos pelo Instituto. Desse total, 58,4% dos participantes foram empregados no seguimento estudado. Além disso, foram 31 treinamentos já realizados com a adesão de 1.877 pessoas. Em parceria com a produtora de eventos Tamo Junto, foram gerados 719 empregos diretos (segurança, limpeza, garçom, cozinha, taxista, atendimento, motorista, montagem de estrutura) para a população da região somente no Revéillon de Milagres 2019.

Já foram desenvolvidos 32 eventos para comunidade (Casamentos comunitários, Tamo Juntinho Dia das Crianças, Tamo Juntinho de Natal, Semana do Meio Ambiente, Outubro Rosa, Novembro Azul e ações de saúde) com a adesão de 2.097 pessoas da comunidade local.

  1. Como é formatado o modelo de negócios do Instituto?

O Instituto Tamo Junto é uma instituição sem fins lucrativos – separada da produtora de eventos – com próprio CNPJ. Dentro do estatuto, além do presidente, há conselho de diretores, tesouraria, etc. As atividades são todas organizadas e executadas seguindo calendário.

  1. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

Passei por muitas dificuldades em minha vida. Mas o momento que mais me marcou foi a perda de meu pai, logo quando conclui o curso de hotelaria. Pela minha experiência de vida, acredito que a gente possa superar tudo, mas é inevitável que a perda daqueles que amamos nos abale.

  1. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa/empreendedora.

É desafiador, além do Instituto, eu estudo, tenho filhos e também tenho que cuidar da minha mãe. Mas o apoio da minha família, meu marido, do Maurício (da produtora Tamo Junto) foram sempre muito importantes, pra poder conciliar todas as tarefas que tenho a responsabilidade de cumprir. Só com esse apoio de tantos lados foi que eu consegui chegar até onde cheguei.

  1. Qual o seu maior sonho?

Eu sou muito sonhadora e aprendi uma coisa na vida com a mãe que é de nunca sonhar pequeno. O meu sonho é transformar a Rota Ecológica de Milagres em referência tanto no Brasil, como no exterior, em local ímpar na conservação do meio ambiente e desenvolvimento das pessoas.

  1. Qual a sua maior conquista?

A minha maior conquista é, além de atualmente impactar a vida das pessoas, ter saído da situação de pobreza extrema. Agradeço a minha família por tanto ter me incentivado a prosperar, a buscar educação. Hoje eu consigo além de ajudar minha família, também outras pessoas em situação parecida com a nossa no passado.

  1. Livro, filme e mulher que admira

Há diversas mulheres que eu admiro tanto no Brasil, como fora, mas minha referência principal é Renalva Damaceno. Foi essa senhora quem acolheu meus pais quando chegaram à Porto das Pedras e a tenho como segunda mãe. Foi ela quem primeiro me disse que poderia chegar aonde quisesse. Foi minha grande incentivadora.

Livro – Grande Sertão Veredas – Guimarães Rosa – obra é próxima da minha realidade, a gente se identifica muito, com as nossas dificuldades. A forma de contar do autor é muito parecida com a nossa vivência.

Filme – gosto de filme dramático – A espera de um milagre é um dos meus favoritos, ainda consigo chorar depois de ter visto muitas vezes.